quarta-feira, 28 de março de 2007

3 Conselhos - Analisando filosoficamente um powerpoint

Recebi de um grande amigo, um powerpoint por email, com uma historinha. Ando mais chato do que nunca agora que tenho lido mais Filosofia. :) Mas acho que chato no bom sentido, de duvidar, questionar mais, a tudo... Bem, no powerpoint há três conselhos bem cristãos, mantenedores da ordem, do rebanho, cheios de "nãos" (em vez de "sims"), priorizando o pensar e deixando de lado o sentir. Além do fato já negativo, ao meu ver, de serem conselhos... Analisarei abaixo um a um:

CONSELHO 1 - Nunca tome atalhos em sua vida.

Se for atalho como algo desconhecido... Novo... Aventureiro... SEMPRE tome atalhos em sua vida :)
Mas se for no sentido de caminho mais fácil, concordo. Geralmente o caminho certo é o mais difícil.
De qualquer modo, pra que apressar a chegada, se você tiver curtindo cada passo do caminho, liberto? Liberto até mesmo para tomar o atalho que der na telha... :)

Graças a este conselho, nosso intrépido herói evita pegar um atalho e ser assaltado. Evita, assim também, pelo menos tentar resolver o problema do local lotado de larápios... Sim, ele poderia ter sido roubado ou morto ali, mas também poderia ter entregado malfeitores à polícia, após vencê-los numa luta honrada. Ou seja, deixou o mundo como estava, e a armadilha dos ladrões para o seu semelhante, o próximo desavisado (ou desaconselhado?) que passasse. E não é isso que já tendemos a fazer sempre, dada na nossa posição consolidada de observador passivo do mundo, não transformador, não ativo, não consciente de que somos deuses, como bem teria falado o próprio Jesus Cristo?

CONSELHO 2 - Nunca seja curioso para aquilo que é mau. (corrigi o "mal" com L mal empregado no arquivo) :)

Aqui é basicamente uma proposta de "não pense, não duvide, não seja curioso, não saia do caminho que outros lhe ditaram". Ao meu ver, a pior parte. Até porquê, o que é BOM e o que é MAU? Varia tanto isso dependendo de referencial... E mais, como saber isso se você não foi curioso? Eu aqui prego o oposto: seja curioso com tudo, viva plenamente, mude (como bem diz meu amigo poeta Edson Marques, que tem um poema lindo - e um blog com esse título).

Graças a este conselho, nosso intrépido herói evita sair de onde estava hospedado ao ouvir um "grito estarrecedor". Na manhã seguinte, descobre que era o filho do "hospedeiro" (não pensem em Biologia, por favor), uma espécie de Jason com tendências ao grito, ou serial-killer barulhento, que gritava toda noite para atrair os hóspedes do "hospedagem", matá-los e enterrá-los no quintal. É curioso aqui como o pai do louco, dono da "hospedagem" deixa que isso aconteça a cada crise de loucura do filho. Seguindo em seu papel de espectador do mundo, nosso herói também evita ser morto, mas nada faz para resolver o problema.

CONSELHO 3 - Nunca tome decisões em momentos de ódio ou dor.

Sempre tome decisões levando em consideração também o seu SENTIR. Como bem disse Chico Buarque, é preciso "agir duas vezes antes de pensar". Somos criados e educados e uniformizados para valorizar demais o racional, em detrimento dos sentimentos. Sem falar na Igreja, instituição que mais matou na história da humanidade, mãe da Santa Inquisição, nos pregar que ofereçamos sempre a outra face ou que nos refreemos sempre em momentos de "ódio ou dor"...

Graças a este conselho, nosso herói evita matar seu filho e/ou mulher. Assim se deu: Ele não conhecia o filho, pois trabalhou 20 anos sem receber salário - como um animal ou um escravo - para alguém, e assim perdeu toda uma vida ao lado de esposa querida e filho desconhecido. Na volta pra casa, viu sua mulher abraçada a um homem (seu filho, ainda desconhecido) e teve ciúme, mas graças ao conselho, evitou a briga. Foi dormir, se sentindo traído e deixou para resolver tudo no dia próximo. Mas será que não seria melhor chegar logo pedindo explicações em vez de dormir muito mal esta noite, o que pode ter ocasionado ao herói um tumor maligno no cérebro pela mágoa guardada?

(Fabio Rocha)

Nenhum comentário: